Que loucura isso aqui! Alguém segura esses Escoceses pelo amor de Deus? É sim daqui, é não de lá, mas calma gente!
Pra começar a história, vamos entender que:
Reino Unido: Inglaterra; País de Gales; Escócia; Irlanda do Norte.
Grã-Bretanha: Inglaterra; País de Gales e Escócia.
A bandeira do Reino Unido, inclusive, vem da junção das três bandeiras: Inglaterra, Escócia e Irlanda do Norte (é, Gales tá de fora, tadinho).

Pois os Escoceses resolveram largar suas gaitinhas e levantar bandeiras em relação à separação do Reino agora não tão Unido dizendo que muita coisa vai mudar! A separação aconteça ou não, muita coisa vai mudar, fato. A oportunidade é única de decidir o futuro de uma nação inteira. Quem está apto a votar são apenas residentes da Escócia.
Os que são a favor dizem que o país vai poder investir o lucro produzido para as pessoas que lá moram, e não para o resto do Reino. Nem preciso citar contra-argumento pra isso né? Entrevistei pelo Twitter uma pessoa a favor da separação e ele me disse que se a Escócia se tornar independente a política vai se tornar mais interna e focada. Eddie White, 44, no entanto, não se mostrou tão confiante quando questionei qual seria o ponto negativo: “Seja qual for o resultado haverão grandes desafios e podem ser esmagadores, mas isso é até você ir lá e fazer. E nós podemos fazer”.
A autora da série Harry Potter, J. K. Rowling diz que nananinanão. Não tem que ter separação e inclusive doou £ 1 milhão em apoio à campanha. Trocado! Ela diz que “a separação não vai ser rápida e limpa e os países vão ter que conviver (brigando) como vizinhos”.
A Escócia já era um país independente, mas como não tava bom, resolveu se juntar com o Reino em 1707. Se beneficiaram disso, cresceram junto com os demais, e agora querem dar o fora. Porque não tá bom assim também.
O resto da Europa também está de olho no referendo de quinta-feira. Se o sim ganhar e a separação acontecer, o Reino Unido fica mais fortalecido a sair de vez da União Europeia, uma vez que a Escócia é considerada mais “pró-Europa”. No entanto, o Reino pode barrar a entrada da Escócia na União Europeia simplesmente gritando NÃO pra eles, pois precisa ter a aceitação de todos os membros. Só pra foder mesmo.
Algumas outras questões que nem cheguei a citar:
– Qual moeda que o país vai adotar? Ou vai manter o Pound Escocês (que será desvalorizado)?
– As dívidas conjuntas que a Escócia tem com o Reino vai ser assumida por qual país?
– Se não der certo muitas pessoas (contra a separação) vão migrar de volta pro Reino?
– Isso vai encorajar a Irlanda do Norte a fazer o mesmo?
– A bandeira vai ser alterada? (Lembra que mostrei que a Escócia tá na bandeira do Reino né?)
– O preço do whisky puro-malte vai aumentar?
Agora seja sim ou seja não, juntos ou separados, a Escócia não OUSA largar de mão da Rainha. Mas nem pensar! Mesmo que eles sejam um país independente ela ainda vai ser Chefe de Estado oficial do país, assim como ainda é em outros países independentes, como Austrália, Canadá e Nova Zelândia, por exemplo.
God save The Queen que a briga vai ser feia. O referendo é dia 18, quinta-feira e as votações encerram às 22h (18h horário de Brasília). Eles calculam que o resultado oficial saia somente na sexta-feira pela manhã.
O ponto bom disso é que a questão tá sendo tratada de forma democrática e não tão revolucionária, com um grupo tacando-lhe bala de um lado e outro de outro. Que assim continue, comportados, bonitinhos, ou Sua Majestade vai descer chumbo!
Quer ler mais? Sim ou não? Quer opinar? O campo dos comentários tá aí pra isso. 🙂

Planeje sua viagem com os parceiros que eu confio e uso:

Aeee tu é o primeiro! Deixa um comentário?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Excelência TripAdvisor
Pesquise seu hotel
Booking.com
Novidades por e-mail
* indicates required
MEUS PARCEIROS