Guri da História

Guri da História: Revolução Gloriosa

Como o fato de James II ser católico desencadeou na Revolução Gloriosa, tirou ele do poder, e mudou a linhagem real?

Já dá pra ver que a Revolução Gloriosa marcou a história do Reino Unido pra sempre. Os Católicos perderam a vez na história desde o reinado de Henrique VIII (ou Henry VIII) quando ele rompeu com a igreja Católica e adotou como religião oficial do país a Protestante. Isso já deu problema uma outra vez (várias outras na real).

Protestantes queriam que o poder tivesse na mão deles enquanto James II dava mais e mais lugar aos Católicos no seu reinado. Até as filhas dele, Mary e Anne, que foram batizadas na igreja Anglicana (Protestante), não gostavam muito da postura do pai, voltada pro catolicismo. Se elas não gostavam, imagine o Parlamento. Nem precisa dizer que as duas herdeiras ao trono se deram muito bem com o Parlamento. Até fizeram um acordo com elas para casar com homens da religião Protestante e assim garantir que a linhagem real seria desta igreja.

pintura do rei James II, do Bolton Museum and Art Gallery, Lancashire, UK. James II foi deposto e fugiu para a França na revolução gloriosa
© Bolton Museum and Art Gallery, Lancashire, UK; English, out of copyright

O rei James II (ou James VII pros escoceses) assumiu quando seu irmão mais velho, Charles II, faleceu em 1685. O pai deles, Charles I, havia sido executado fazia 36 anos. A monarquia estava reestabelecida e ele pensou que não corria risco algum. Começou então a dar mais espaço para os católicos dentro da corte e do exército, e se aproximar demais da França. O Parlamento e as filhas não estavam nada feliz com o rei, muito menos o próprio genro. Ele era príncipe da região na época holandesa de Orange. William estava em guerra contra a França e não estava gostando nem um pouco da relação próxima do rei inglês e do rei francês.

A gota d’água

A gota d’água, porém, foi num dia quente do verão de 1688. Em 10 de junho nasceu James Edward Stewart, filho de James II e agora primeiro na linha de sucessão ao trono britânico pelo fato de ser homem. Ele foi batizado na igreja Católica e os levantes começaram a se aquecer. Como o rei, chefe da igreja Anglicana, ousaria batizar seu filho na igreja Católica?

pintura de James Francis Edward Stuart, old pretender, james iii e james VIII. Hoje na National Gallery, em Londres. Ele fugiu com o pai para a França durante a Revolução Gloriosa
James Francis Edward Stuart, Alexis Simon Belle – National Portrait Gallery

Foi aí que o Parlamento e a Igreja, com apoio de Mary (a filha mais velha) enviaram uma carta (sim, isso tudo foi pré-email) para William pedindo pra ele invadir a Inglaterra e assim depor James II do poder. Este foi o auge da Revolução Gloriosa: William fez a invasão contando com o apoio do próprio exército britânico – que também estava contra James II. O rei, a esposa e o filho mais novo arrumaram as malinhas e atravessaram o Canal da Mancha até a França. Lá conseguiram refúgio com o primo de James II, o rei Louis XIV.

Enquanto isso, na ilha da Grã-Bretanha, alguns levantes se seguiram mas logo em seguida o Parlamento reconheceu que por James II ter abandonado o país e jogado o Selo Real no Rio Tâmisa, ele havia abdicado ao trono. Logo, quem deveria ser coroada rainha seria então sua filha, Mary, como Mary II.

Rainha Mary II, filha de James II e esposa de William III. Ela assumiu o trono depois da Revolução Gloriosa. Em 1690, já como rainha. Hoje pertence à Royal Collection
Queen Mary II – Sir Godfrey Kneller, 1690 – Royal Collection

Will, o exigente

William, o marido de Mary, não gostou muito da história. Foi graças a ele e sua Revolução Gloriosa, afinal, que o país estava livre de católicos e manteve a linhagem protestante. Depois de muitas conversas e acordos, decidiu-se então fazer uma coroação conjunta (a única da história britânica!), onde o marido da rainha é coroado rei, e possui exatamente os mesmos poderes que ela. Não fosse ele ser revoltadinho, teria seguido príncipe, como o caso do Príncipe Albert (marido da rainha Victoria) e Phillip (marido da rainha Elizabeth II).

Antes ainda de terem sua coroação conjunta, os dois assinaram a Carta de Direitos (Bill of Rights em inglês) que tirava poderes dos católicos como, por exemplo, não votar; não ser parlamentar; não ter cargos de alto escalão no governo e exército; não casar com monarca (isso mudou só em 2015!); e claro, não ser monarca (o que ainda está em vigor).

William III que invadiu a Inglaterra na revolução gloriosa. Por Godfrey Kneller, já quando rei ao lado de sua esposa Mary II
King William III (1650-1702); Kneller, Godfrey; Leeds Museums and Galleries

Foi desta maneira que a Revolução Gloriosa mudou a história do Reino Unido pra sempre. Tirando poderes de católicos; mudando a linhagem real em especial quando morreu a segunda filha de James II, Anne; e tirando também o absolutismo do monarca, dando muito mais poderes e direitos ao Parlamento.

Um pouco destes reis e histórias são contados  no Palácio de Kensington e também no meu tour sobre a realeza britânica (em português).

Leia mais:




Rafa, um Guri em Londres. Moro em Londres desde janeiro de 2014, sou guia de passeios temáticos a pé pra brasileiros e gosto de compartilhar como é a vida por aqui, além de contar mais sobre a história e cultura do Reino Unido. Sinta-se em casa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *