GURI IN LONDON

Guri no tube

Tem muito blog falando sobre o tube, o metrô londrino, e muita informação na internet. No entanto, a ideia aqui do Tchê in London é postar dicas e um olhar diferente do principal meio de transporte londrino (ou seriam ou ônibus vermelhos?) ao passear pela cidade. De lambuja, ainda te damos vários caminhos de onde tu pode encontrar as informações.

Não vale comparar o tube com o metrô de São Paulo. Nem com o de Paris. O tube é o tube. As estações são muito bem sinalizadas seja na rua (com o famoso símbolo do Underground) ou seja dentro delas. É muito fácil chegar até a plataforma: basta seguir as placas. É muito fácil sair da estação: basta seguir as placas (que aqui estão escritas “way out”). É muito fácil saber como chegar: é só ter um mapa ao alcance da mão, ou acessar o site da Transport for London.
De tão eficiente que o tube é, os vereadores da cidade tem que andar de transporte público e se pegarem táxi tem que explicar por que não usaram o metrô ou o ônibus. ALÔ BRASIL!
Minha dica principal quanto às tarifas é ter um Oyster Card pra se locomover. Quando tu usa o tube portando um desses a tarifa sai mais barata, além de ser mais rápido e seguro. Em resumo, se tu for ficar 4 dias ou mais em Londres a vantagem é mesmo ter um passe de uma semana no teu cartão. Este assunto é muito, MAS MUITO longo e cheio de detalhes, Então deixo essa parte pra Dry Everywhere que fez um post bem tri sobre o assunto. Tem tudo mastigadinho ali, é só clicar e planejar. =) Tem bastante informações no site da Visit Britain também.
Ao entrar na estação, procure nas placas indicativas de Northbound, Southbound, Eastbound ou Westbound (sentidos Norte, Sul, Leste ou Oeste) e verifique em qual das plataformas tu tem que ir. Agora é só descer a escada rolante, sempre ficando do lado direito; controlar pelo painel quanto tempo o teu trem vai demorar; ser educado e esperar as pessoas saírem antes de tu entrar; e curtir tua viagem até o final.
Os vagões do tube são limpos, confortáveis e com aspecto de novos. Ninguém repara em ninguém só os turistas e assim como em toda Londres, é normal ser diferente. Além disso tudo, o tube é um símbolo da cidade, sendo também o mais antigo do mundo. O sistema é tão eficiente que todo mundo anda de metrô. Todo mundo mesmo, por mais que tu torça o nariz. Paul McCartney, por exemplo, contou pro repórter Paulo Terron, da Rolling Stone, que ele costuma usar o transporte público em Londres e como é a experiência na pele de um ex-Beatle:
Como você mantém os pés no chão? Por exemplo, alguns amigos de Londres me juraram que viram você no metrô. Você costuma fazer esse tipo de coisa para não perder o senso de “vida real”? 
Acho que sim. É algo que eu sempre fiz, sabe? Mesmo antes de eu ficar famoso com os Beatles, eu gostava [de fazer coisas corriqueiras como andar de metrô]. É bom sentir os pés no chão. Faço porque gosto. Realmente gosto da experiência de pegar o metrô! E, quando você fica famoso, parece que tudo o que você faz é andar de carro. É um pouco chato. Então, às vezes, se estou andando e passa um ônibus que vai para onde eu estou indo, eu pulo nele. Ou o metrô. Então, sim, as pessoas me veem no metrô. O mais legal é que ninguém acha que sou eu! Primeiro, porque ninguém olha para os outros no metrô – as pessoas leem o jornal ou ficam com os olhares perdidos. Se alguém olha para mim, dá para ver a pessoa pensando: “Não, não pode ser ele… Não aqui, no metrô”. E, sabe, já fiz o mesmo em Paris. E estava lotado! Sabe como os trens ficam bem cheios? E eu estava lá, segurando na alça, como todo mundo. Vi umas duas pessoas que olharam e devem ter pensado: “Nossa, você se parece muito com ele, cara”. Mas ninguém diz nada! Você consegue ver nos olhos deles, mas eu olho de volta como quem diz: “Eu não poderia ser ele, poderia? Acha que ele estaria andando de metrô com você?” [risos] Eu gosto bastante de fazer isso, curto o transporte público.

Preciso de mais algum argumento mesmo agora que tu sabe que ainda tem a chance de ver o Beatle-Sir Paul McCartney num vagão qualquer? Mesmo agora que tu sabe que vai viajar com conforto (em especial se for fora do horário de pico, claro)? Mesmo agora que tu sabe que pode ir pra qualquer lugar com o tube? Não, né?
É só planejar, embarcar e aproveitar tua viagem como se fosse um londrino. O tube é um passeio à parte. Viajar pelas estações, ver os músicos de rua e a arte que algumas delas expõem é viver a cultura londrina a fundo. É experienciar um dos maiores e mais eficientes diferenciais de Londres: o transporte público. Sem luxo nem lixo.
Mind the doors, mind the closing doors. E não deixe de comentar com tua experiência/dica do tube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *