• Guri no Mundo,  Itália

    Que mar azul! (e verde claro/azul claro/verde esmeralda)

    No Mediterrâneo, próximo à costa oeste da Itália, procuramos um lugar bom pra nadar e finalmente ancoramos o barco. Achei um bom momento pra avisar nossos amigos que alugaram o barco pra nos mostrar esta parte da costa de um detalhe importante: “acho que nem comentei, mas não sei nadar [sorriso sem jeito]”. A expressão foi a mesma no rosto do casal e dos dois filhos de 10 anos. Podia ler um “será que ele falou mesmo que não sabe, ou que sabe?” Pois é, não sei. Já tentei, entendi um pouco da técnica, mas simplesmente travo.

  • Brasil

    Guri nos cânions do Rio Grande do Sul

    “O Fortaleza é bem mais bonito que o Itaimbezinho” foi o que sempre ouvi de quem já conheceu os dois cânions no Rio Grande do Sul. Depois de visitar o Itaimbezinho, no primeiro dia pela região de Cambará do Sul, duvidei que o outro cânion, a alguns quilômetros do primeiro, pudessem superar aquela beleza e grandiosidade.

  • Guri no Mundo,  Polônia

    As lembranças de Auschwitz

    Placa no portão de entrada em Auschwitz com a inscrição Arbeit Macht Frei - o trabalho liberta

    “O trabalho liberta”. Essa era a promessa que todos os 1.3 milhão de prisioneiros de Auschwitz liam ao entrar pelos portões. Se soubessem alemão, claro, porque está escrito “arbeit macht frei”, com o “B” da primeira palavra de cabeça pra baixo. Um detalhe sutil que se tornou uma mensagem poderosa dos prisioneiros que instalaram a placa.