O Guri foi

O Guri foi: Mary Poppins, o musical ⭐⭐⭐⭐⭐

Conheci Mary Poppins há não muito tempo atrás. Quando vi que seria lançado um novo filme achei que seria interessante ver o primeiro filme antes de ver o novo. E aí me apaixonei. A mensagem de que há coisas mais importante que puramente lucro, e que a criatividade pode te levar a lugares antes inimagináveis é o que mais gosto.

Quando vi que o musical de Mary Poppins iria retornar ao West End não pensei duas vezes. Já garanti meu ingresso pra segunda semana de apresentações e fiz questão de pegar um assento ótimo.

O musical de Mary Poppins é relacionado diretamente com o primeiro filme. O interessante é que diferente de Mamma Mia, por exemplo, o que se vê no palco não chega a ser exatamente a mesma história. Uma mistura da história do filme com um pouco de comédia e alguns twists que não fariam falta se não existissem.

O enredo principal ainda é o mesmo: o pai trabalha muito, não dá atenção suficiente aos filhos e a nova babá chega pra resolver a situação toda. Na peça a mãe já tem um papel muito mais forte enquanto mulher mesmo. No filme onde ela mostra uma realidade mais começo-do-século-passado enquanto na peça a atitude é diferente e ela chega a entrar no banco onde o marido trabalha e bater de frente com o gerente do banco.

Aqui tem um gostinho de um pouco do começo da peça:

O lado cômico da peça não é exagerado e nem pastelão, mas é apenas uma pitada de vez em quando pra dar um tom diferente. A magia, a alegria e a grande festa são até mais presentes que no filme. Danças de diferentes estilos se misturam com coreografias que na minha opinião poderiam ser melhor trabalhadas, mas que ainda assim são divertidas. Elas se juntam a músicas conhecidas do filme, algumas releituras de letras em cima da mesma melodia e outras completamente novas.

Uma destas que vem do filme e ainda não entendo como pode ser tão tocante é a da senhora que vende comida para pombos na frente da St. Paul’s. A atuação é simples mas ao mesmo tempo de uma intensidade que me deixou com olhos cheios de lágrimas numa das últimas aparições delas.

Ainda que a magia de Mary Poppins é contagiante e o drama é substituído por sorrisos de ver que realmente tudo é possível, mesmo o impossível – não espere esta frase na peça.

Esta magia não fica apenas na história. As trocas de cenário são precisas e cuidadosas e mesmo que eu te contasse aqui de todas as surpresas que a peça tem tu ainda ficaria de boca aberta quando estivesse assistindo ao vivo. Não a toa a plateia soltou um “ooooh” em vários momentos. Um maior e mais surpreendente na última aparição de Mary Poppins.

Oi dona Mary Poppins, só pra avisar que se for colocar alguma frase deste texto no cartaz pode ser esta: arrepiante, emocionante e que dá vontade de voltar todos os dias e viver no mundo de Mary Poppins todos os momentos. E pior é que é simples, afinal, tudo é possível, mesmo o impossível.

Mary Poppins está em cartaz até 3 de maio de 2020 no Prince Edward Theatre.
Ingressos a partir de £ 18. Compre seu ingresso aqui.

Planeje sua viagem com os parceiros que eu confio e uso:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *