Guri no Reino,  Inglaterra

Guri em York

Fui pela segunda vez pra esta cidadezinha histórica do norte da Inglaterra e desta vez fiz um vídeo pra te contar um pouco sobre a cidade e te dar dicas de York. Pra ler o post de quando fui pela primeira vez clique aqui.

A caminhada diária do bed & breakfast Dovecote House era de suar. Especialmente porque estava muito quente nos dias que fomos pra York, mas porque ele ficava há uns 20 minutos caminhando do centrinho histórico de York. Que é, com certeza, a parte que tu mais vai visitar. Não me arrependo nem um pouco de ter ficado neste B&B porque o atendente, o Matthew, era o dono, então ele fazia questão de servir da melhor forma possível. Até levar café da manhã no quarto (de todos os hóspedes! ) ele leva. A gente pediu um baldinho com gelo pra colocar uma garrafa de espumante (tinha uma banheira no quarto então né… Já viu!) e ele mandou não só isso mas também duas garrafas de cerveja cortesia pra gente. Estrella, aquela espanhola… Não das minhas cervejas favoritas.

Bem longe até… Mas tudo bem! Como curto mais uma ale, aquela cerveja mais da escola inglesa, fomos na York Brewery, onde em 40 minutos um funcionário mostra o funcionamento da pequena cervejaria, conta curiosidades, mostra os ingredientes e te choca com uma novidade, que eu não sabia: eles (assim como muitas cervejarias) usam escama de peixe na cerveja pra deixar ela mais reluzente. Lindo né? Só que não.

A cervejaria é de 1996, não tão histórica, mas a cerveja deles é uma delícia, em especial a imperial stout – até porque sou fã do estilo. O tour é muito barato, afinal são £ 8 (preço de 2017) e no final pode experimentar até quatro rótulos diferentes.

Por falar em cerveja, o Ye Olde Starre Inn é o pub mais antigo de York e data de 1644, o que pra uma cidade histórica como aquela não é assim tããão antigo. Não que isso tire o brilho, claro. Mas a noitada mesmo foi no karaokê do The Priory (103 Micklegate – YO1 6LB). Toda sexta-feira rola muita gente que resolve pegar o microfone encorajada pelo álcool e espantar os males (e muitos clientes) cantando de Beatles a The Killers. Vai lá!

A história

York é pura história. Não tem como separar. A cidade era protegida por uma muralha que ainda mostra resquícios em vários lugares durante as andanças e dá até pra subir nela. Fomos lá, dançamos um funk lá em cima, coisa que com certeza os romanos não fizeram a mais de dois mil anos quando ergueram ela, lá no ano 71.

Caminhas por cima da muralha é agradável, histórico e dá uma visão geral do restante da cidade.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Rafa Maciel | Guri in London (@guriinlondon) em

A reza

Uma das principais obras religiosas de York era a Abadia de St. Mary. Hoje tem apenas ruínas dela pra contar história, ao lado do Museum Gardens, um convite pra um picnic numa tarde de sol.

Hoje a atração religiosa é a York Minster, claro. Se tu leu meu primeiro post sobre York vai ver que eu não entrei na igreja, mas desta vez fui e arrependimento não há. O órgão é lindo e a visita à cripta ajuda a entender um pouco mais sobre a história dessa igreja, que até com incêndio já sofreu bastante. Uma Minster, caso esteja se perguntando é tipo uma catedral, mas não é uma catedral. Nem uma igreja. Nem uma abadia. Na real é perto de uma abadia, seria uma forma do inglês antigo de se referir a uma abadia.

Fato curioso: por isso o nome de Westminster é este. Lá era a parte oeste da cidade (a mil anos atrás) e se referiam a ela como a Minster do Oeste. Em inglês, west minster. Tri né?

A subida na torre ficou pra próxima visita porque custava £ 5 a mais que não estava a fim de desembolsar. Só a entrada principal já custou £ 10.

Chocolate

Agora uma coisa nada histórica: o chocolate. Quero dizer… Não é que seja “nada histórica” porque a visita ao Museu do Chocolate conta um pouco da história do… erm… Chocolate! Como ele começou a ser consumido, como ele começou a ser fabricado, quais as invenções de moda e a parte mais legal: de fazer chocolate. Ou pelo menos de moldar ele pra depois levar pra casa, tipo criança na aula de artes da escola. O bom é que nem bem saímos do museu e já comemos todo o palitinho de chocolate.

Já foste a York? O que achou? O que não posso perder na próxima ida? Me conta nos comentários!

Planeje sua viagem com os parceiros que eu confio e uso:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *