Guri no Reino,  Inglaterra

Guri em Leeds

Não esqueci que preciso terminar de contar da viagem pelo interior da Inglaterra. O post tava no forno. Agora tá pronto, no ponto.
Começamos com outro esclarecimento: o Leeds Castle não tá em Leeds. E nunca esteve. Aquele truque que inclusive Londres tem (a Abbey Road não fica nem perto da estação Abbey Road!) pra te fazer viajar e depois ter que voltar. Frustrado. Ainda que não fomos pra ver o Leeds Castle.

Fomos pra ver a nossa Leeds. Fomos pra comer um fish & chips num pub e pagar £ 3.50 por ele. Pra ver os tantos pubs que a cidade tem e pra aproveitar a paisagem do countryside da região de Yorkshire.

O fish & chips que comentei é de verdade! 2 pratos por £ 7.00. Só pra reforçar: £ 3.50 cada. Acredito que por a cidade ser lotada de estudantes é que existem vários desses preços miúdos a toda esquina. O Carpe Diem é todo cool, fica no nível do subsolo e surpreende ao observar as paredes escuras. As mesas usadas, os instrumentos prontos, a música ambiente mais alta que o normal. Perceptível que dali a alguns poucos pares de horas o lugar estaria mais que fervendo. Fazer jus ao nome do local, essa deve ser a ideia.
Apaixonados por armas de fogo (existem?) ou por histórias de guerra tem um prato cheio em Leeds. Depois de atravessar o charmoso rio Aire, mais dez ou quinze minutos de caminhada e lá está o museu, imponente, descansando ao lado de barquinhos decorados ali atracados. Várias armas e artigos de defesa de épocas passadas estão lá expostos, dados alarmantes de violência e até antigas campanhas de paz. Que valem pra sempre, no entanto. Entrada free.
Mercado público é outra coisa que gosto de visitar em viagens. O de Leeds é simplesmente onde, ali em 1984, nasceu o Marks & Spencer, hoje a maior rede de lojas de departamento do Reino Unido. Ainda existe uma tendinha simples e tímida deles dentre todas as outras. É Reino Unido, é tradição. A riqueza dos detalhes e da mistura de cores chama atenção dos passantes.
Leeds é uma cidade pra se ficar um dia, no máximo. Mais que isso chega a hora de achar alguma coisa não tão usual pra se fazer. No nosso caso, fomos dar uma caminhada até a Millenium Square e topamos com uma espécie de festival de calouros arrecadando dinheiro pra caridade. Sentados a céu aberto nos bancos de madeira cuidadosamente colocados pra ocasião, ficamos esperando o tempo passar. No entanto, estávamos curtindo demais quem estava se apresentando que ao invés de passar o tempo queríamos parar ele. Não teve como. Próxima parada: York.
(*)
MIND THE GAP: Já leu sobre nossa passagem por Nottingham e Sheffield?

Planeje sua viagem com os parceiros que eu confio e uso:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *