Guri no Reino,  Inglaterra

Guri em Nottingham

Finalmente (sério, tá ficando vergonhoso!) depois de tanto tempo sem postar, e de tanto tempo da viagem, finalmente vou contar como foi a nossa viagem pelo interior da Inglaterra. Passamos por Nottingham, Sheffield, Leeds e York. Cada uma das cidades com sua personalidade própria, mostrando seu país de um jeito diferente. Do seu jeito.

E hoje, abrindo as cidades, está Nottingham. A surpreendente cidade, dá pra dizer. Uma palavra? Moraria.

Nottingham é a cidade do Robin Hood, do Nottingham Castle (reconstruído em 1170) e do pub mais antigo do Reino Unido (segundo eles mesmos, claro). A cidade se orgulha e valoriza estes fatos – pra nossa sorte. É típico do Reino Unido as casas e prédios antigos serem conservados. E em Nottingham a preservação não é diferente, o que deixa a cidade ainda mais bonita e fez nos sentirmos ainda mais em casa.
Chegamos na cidade no início da tarde e fomos direto pro Hotel Ramada. O chuvisco chato que insistia em nos molhar não nos impediu de ir a pé até o hotel. OK que não achamos que íamos nos molhar tanto quanto foi, mas OK que era o primeiro dia de férias e estávamos indo pro hotel.
O Ramada Hotel surpreendeu pelo atendimento, localização e o tamanho do apartamento. E claro, preço.
Pra começar nossa caminhada pela cidade fomos ao Fat Cat, um bar/restaurante com um menu bacana e aparentemente barato. Até chegarem os pratos e nos darmos conta que realmente é muito barato pelo tamanho do prato. Também entendemos o motivo do nome. Foi muita comida!
Prontos pra caminhada, cheios de disposição, fomos pro Galleries of Justice Museum que pra nossa surpresa já estava fechado. Na verdade a parte free ainda estava aberta, mas os tours guiados já não estavam mais disponíveis. Isso eram cerca de 16h30. Já deu pra perceber que Nottingham são duas cidades: uma de dia e outra à noite.
Dali fomos praquele que tem a fama (ou auto-denominação, como queira) de ser o pub mais antigo do Reino Unido. Este, pelo menos, tínhamos certeza que estaria aberto. O Ye Olde Trip to Jerusalem existe desde 1189 e presenciou muitas das histórias e guerras do país nestes 925 anos de existência. Todos os ambientes do pub estão abertos e possuem inclusive objetos de época expostos, além de fotos de pessoas que já visitaram o lugar. Abaixo do pub existe uma rede de cavernas que era utilizada como cervejariae a construção data de cerca de 1068, mesma da primeira construção do Nottingham Castle, que fica logo ao lado.
Depois da cerveja, hora da janta. O lugar escolhido nos chamou atenção quando chegamos na cidade e quando fomos ao Nottingham Contemporary (a galeria de arte moderna que não nos tomou mais de 15 minutos da viagem). Nos chamou atenção por ser um restaurante dentro de uma Igreja. E o que descobrimos? Que era um dos restaurantes da franquia Pitcher & Piano. Não conheço os demais, mas arrisco dizer que este é o mais bonito da rede. Comer e beber dentro de uma Igreja é uma experiência única e inacreditável. A nossa mesa, inclusive, era no altar. Tirando pelo péssimo atendimento, a comida, o preço e a música ao vivo fecharam a noite de um modo perfeito!
No outro dia tínhamos planejado de fazer o que não conseguimos por não termos chegado a tempo no dia anterior: o Nottingham Castle.
Tïvemos a sorte de visitar o Nottingham Castle num dia que a entrada era free de graça e sem precisar pagar nada. O lado de fora do castelo é lindão e convida pra sentar e tomar um chimarrão. Mas como não estávamos com cuia e nem erva (e nem tempo), fomos logo pra dentro do castelo. O interior conta história de guerra, da cidade, de Robin Hood, da influência grega, além de guardar esculturas e obras de arte incluindo arte moderna.
A visita vale a pena, apesar de ser meio confusa justamente por não ter um único foco na visitação.
Antes de pegar o trem pro nosso próximo destino, o nosso lugar escolhido pra almoço foi o Jamie’s Italian, o restaurante italiano do Jamie Oliver. Também próximo do centro, do castelo, do shopping e até do Pitcher & Piano, o restaurante surpreendeu – em especial no preço. Pedi a famosa prawn linguine e delicioso é uma definição modesta. Com bebida e sobremesa não gastamos mais que £ 23 por pessoa. O ambiente nos levou pra uma das casas na região colonizada por italianos no interior do Rio Grande do Sul. O restaurante também tem uma pequena loja com livros e artigos pra cozinha.
Tirando que esperamos cerca de cinco minutos na porta sem ninguém pra nos atender – até irmos ao bar e avisar que estávamos com fome – o atendimento foi simplesmente excelente!
Nottingham deixou saudades por nos receber tão bem, por ser fácil e rápido andar pela cidade, e por ter nos oferecido experiências gastronômicas tão agradáveis. No entanto, a hora de partir chegou, e outras surpresas nos esperam. Sheffield, lá vamos nós!
(continua…)

Planeje sua viagem com os parceiros que eu confio e uso:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *