GURI IN LONDON

5 pega-ratão de Londres

Há um tempo atrás a Time Out fez uma lista de cinco itens “pega-ratão” pra turistas. Adaptei algumas coisas pra poder te contar aqui e te alertar sobre estes pega-ratão que acabam sendo alguns errinhos que algumas pessoas cometem. Não deixa de ver a solução pra não fazer nenhuma dessas, beleza? 😉


1. Atravessar a Abbey Road
Todo mundo sabe como é a Abbey Road: aquela montoeira de turistas tentando remontar a capa do disco dos Beatles; carros parando pro turista (alguns buzinando); fãs escrevendo no muro… Pra ver tudo isso neste instante é só clicar aqui.

É uma pena, no entanto, que muita gente ainda rume em direção à estação Abbey Road do DLR, há cerca de 16km da Abbey Road em questão. Triste né? Então lembra: estação St. John’s Wood na Jubilee Line é a certa. Ou então clica aqui que eu te levo lá pessoalmente. Ou pra saber como chegar, saindo de St. John’s Wood clique aqui.

2. Viver um dia como um londrino
Pouco sabem eles que isso geralmente significa horas e horas num escritório, somado a um cochilo no ônibus e comer uma sopa de lata antes de pegar no sono no sofá. Tu tá de férias, não? 🙂

O legal, claro, é ver/conhecer o lado B da cultura local, indo em lugares frequentados por locais, caminhar fora do óbvio e aproveitar muito da cidade. Mas não queira passar horas dentro de um metrô pra chegar em casa. Não. Quer conhecer a outra face de Londres? Eu te levo pra passear por este “lado B”.

3. Reservar um hotel na zona 5
Reservas hotéis é uma coisa muito fácil pra qualquer turista. Google > hotéis em Londres > classificar pelo mais barato > reservar. Pronto, trabalho feito. Ou então reserve pelo Booking.com aqui.

A gente já aprendeu que os nomes dos locais não querem dizer muita coisa né? A estação Abbey Road não é onde tá a Abbey Road. Tottenham não é perto de Tottenham Court Road (mas sim do time de futebol com o mesmo nome). Tem gente que prefere pagar menos de hotel mas ficar mais tempo no transporte público e pagar mais de transporte (afinal as zonas 1 e 2 são mais baratas pro transporte). Mas não é o necessário, convenhamos. Afinal ficando na zona 5 você vai pagar menos de hospedagem mas vai sim gastar mais com transporte, além do tempo de deslocamento.

4. Comer fish & chips
Filé de peixe com batata frita, molho tártato e ervilha. Um clássico. Muitas vezes, no entanto, turistas tentam matar does coelhos com uma pedrada só e optam por experimentar o prato num “traditional English tavern”. As palavras geralmente escritas num quadro negro em algum lugar no West End ou próximo a um ponto turístico bem conhecido. Coincidência né? Justo ali no meio do caminho…

Pois é, assim como tu não pediria arroz com feijão num restaurante italiano, essa é uma decisão que vai terminar em decepção ou com um souvenir não muito legal: intoxicação alimentar. Te cuida rapá! Coma em lugares como Garfunkel’s, Bill’s ou um pub de redes conhecidas como Wheterspoons, Nicholsons e Fuller’s.

5. Pedir informação
OK, é fácil se perder em Londres, em especial se a gente falar das ruelas medievais da City of London. Mas assim como é fácil se perder é fácil se achar. As opções são várias: pode ser usando um GPS no celular (muitos funcionam offline – recomendo o CityMapper, Google Maps e NokiaHere Maps); pedindo informação pra qualquer londrino (todos vão ser solícitos!); ou usando os tótens que tem em qualquer rua que mostra tua posição exata e onde tu chega em um raio de até 15 minutos a pé. Simples, fácil e prático.

Se perder é sempre legal também, não fique com medo, não fique preso. Mas saiba que quando estiver cansado os mapas, os londrinos e o celular vão te ajudar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *